A Varinha Mágica

Era uma vez uma garotinha que estava sentindo-se entendiada com seus brinquedos. Ela estava sentada embaixo de uma árvore frondosa no fundo de seu jardim, quando, de repente, um pequeno galhinho quebrou e caiu da árvore para o chão. Caiu bem do lado dela e estranhamente começou a cantar para ela.


Enrole-me em cores vivas, dia e noite, mantenha-me seguro - E quando ouver mágica no ar, eu te levarei a um tesouro.


A garota ficou entusiasmada ao ouvir o galho cantando. 'Esta deve ser uma varinha mágica', ela pensou, pegou-a e levou-a para casa. Quando chegou em casa, foi direto para a cesta de costura onde sua mãe guardava novelos coloridos de lã. Um por um, ela começou a enrolar a varinha com cores brilhantes. Então, ela levou-a para o quarto e encontrou um lugar seguro para ela ficar na mesinha ao lado da cama.


Quando ela acordou na manhã seguinte, ela podia ouvir a varinha mágica cantando para ela.


Hoje há mágica no ar - Eu te levarei para um tesouro encontrar!


Ao pegar a varinha, ela sentiu-a começar a balançar e parecia dizer, 'Siga-me". Ela deixou que a varinha lhe mostrasse aonde ir e foi parar no jardim, onde algumas lindas penas de pássaros foram mdeixadas na grama. 'Isso dever ser o tesouro', pensou a garota e decidiu amarrar as penas na varinha mágica, deixando ainda mais bonita.


Na manhã seguinte, quando ela acordou, a varinha mágica estava cantando para ela novamente.


Hoje há mágica no ar - Eu te levarei para um tesouro encontrar!


Ela seguiu a varinha mágica pela casa e pela praia e lá na areia dourada estavam algumas lindas conchas brilhantes. 'Isso deve ser o tesouro', pensou a garota e decidiu amarrar as conchas na sua varinha mágica, deixando-a ainda mais bonita.


Na manhã seguinte, quando ela acordou a varinha mágica estava cantando novamente para ela.


Hoje há mágica no ar - Eu te levarei para um tesouro encontrar!


Mas, dessa vez, a varinha mágica não a levou para fora de casa. Ao contrário, cantando pelo caminho, levou-a até o quarto da mãe e do pai. Lá estavam, na cama, seus pais com um bebê deitado entre eles. O bebê estava embrulhado num cobertor quentinho. 'Isso realmente deve ser o tesouro', pensou a garotra e segurou sua varinha mágica com cores brilhante e lindas penas e conchas para o bebê ver. O bebê sorriu e a garotinha ficou tão feliz que pensou que ia explodir!


Daquele dia em diante, a varinha mágica ajudou a garotinha em muitas aventuras e a encontrar tesouros. Porém, seu tesouro favorito era o novo bebê embrulhado no cobertor na cama de seus pais. 



Uma história para uma menina de 5 anos que em breve teria um novo irmãozinho. Seus pais preocupados que sua única filha pudesse ficar com ciúmes do novo bebê e não o aceitasse. A história ajudou muito a motivar sua aceitação e envolvimento.

Essa é uma história de Susan Perrow de seu livro Histórias Curativas para Comportamentos Desafiadores.

  • youtube contoterapia
  • facebook contoterapia
  • instagram contoterapia
  • whattsup contoterapia
0

+44 0783 844 5266

Contoterapia by www.contoterapia.com.br

Anna Rossetto

CNPJ 30.004.429/0001-18

Terapia Com Contos | Contoterapia | CNV | Empatia | Storytelling

Contoterapia Brasil

Rua Pedro Ivo, 3095

Cascavel - PR - BR

Contoterapia Inglaterra

52, Moorhen Drive

Reading-UK