Você imagina ou fantasia?

Atualizado: 16 de Ago de 2019

Você já se perguntou a diferença entre imaginação e fantasia? Sim? Não? Não acha relevante? Muito além da semântica essa pergunta nos conduz para um lugar de #autoconhecimento e o convite aqui é seguir no texto para descobrir porque isso é tão importante para você.


Quando pensamos em construir uma casa, precisamos pensar nela primeiro certo? Caso contrário como vamos saber que tipo de fundação fazer, será uma casa térrea, será uma casa de dois andares? Só vou consigo agir naquilo que quero se pensei a respeito daquilo primeiro.


Pois bem, esse lugar de pensar antes de executar chama-se plano das idéias. Nada, absolutamente nada do que vemos no nosso dia a dia não passou por lá primeiro. Filosoficamente esse é um assunto que dá pano para manga e é extremamente fascinante, porém, a título de estímulo vamos ficar apenas na provocação. 

Então para manifestarmos algo, aqui, na matéria, no dia a dia, é interessante entender que fazemos esse download de idéias de forma dualizada -  ou pela nossa imaginação ou pela nossa fantasia. Como diz a professora Lúcia Helena Galvão, em sua palestra online "Imaginação - o poder de criação do homem" se imagino que quero ser uma fabulosa pianista, com gravações na mais conceituada gravadora do país, sendo reconhecida e aplaudida em meus concertos, mas em contrapartida não quero passar pelas horas tediosas de aulas e treinos, onde acabarei com calos nos dedos, consumindo anos de prática que me garantirão maestria, então, isso não é imaginação e sim fantasia.


A fantasia é passiva e muitas vezes não é criada pela pessoa e sim absorvida pelo meio. As fantasias são todas muito parecidas no coletivo. Numa tentativa de clarear isso poderíamos resumir de forma generalizada, aquele anseio de viver uma vida abundante financeiramente, ter uma ótima casa, um ótimo carro, um excelente relacionamento, com o melhor emprego de todos, as melhores roupas, etc. Em um mundo tão populoso é fisicamente inviável todos conseguirem manifestar todos seus anseios e fantasias, já pensou se toda as pessoas do mundo tivessem tudo isso ao mesmo tempo? 


E como isso se torna inviável fisicamente, abraçamos a fantasia numa tentativa de satisfação -  dá para imaginar como a mídia sacou esse vazio e impotência usando isso a favor do consumismo né? - Então, por ser algo que substitui a realidade, por ser algo que vivo no mundo das idéias apenas, já que manifestar nossa imaginação requer um certo estofo, uma resiliência, uma estatura moral, eu fantasio. A fantasia se realiza em si e é altamente contagiosa. Ela se infiltra em nós pelos espaços de inconscistencia que temos em nós mesmos. Pela falta de imaginação.


Imaginação é um projeto daquilo que quero viver no amanhã, ela é ativa e criada por mim mesma. Imagino o que quero viver e como chegar lá. A fantasia não é um projeto e sim a substituição da realidade, pois se não quero me preparar para chegar lá então substituo esse projeto de realidade pela fantasia. 


Ok, entendi então como funciona a dinâmica entre #fantasia e #imaginação, mas e agora, como faço para imaginar?


É importante entender que a imaginação são as imagens em ação aqui no nosso mundo interno e isso nada mais é do que a elaboração e re-elaboração de todas as idéias, assuntos, princípios, conceitos, sensações, emoções, crenças cujas quais você já foi exposto. É a sua educação, sua história, o que você viu, leu, ouviu, o que sua família repassou para você. Todas estas informações se combinam em algo "novo" e esse processo chama-se imaginação. Quando mais variado nosso contéudo interno, mais imaginativo consigo ser e assim mais criativo também.

Então, para você saber qual casa quer construir, você precisa de um modelo de casa visto previamente, seja em fotografias, seja pessoalmente. Você imagina a cozinha de um lugar, a sala de outro, e assim, o modelo de casa que você imagina se cria no plano das idéias e esse projeto tem condições de ser manifestado por aqui. 


Mas até agora falamos de uma casa, e se eu perguntasse sobre quem você imagina ser?


Do que você se nutre para conceber essa versão de si mesmo? Onde você busca seus referênciais? Como você dá subsídios e conteúdo para a sua imaginação elaborar e re-elaborar quem você é? 


Neste momento, saber a diferença entre imaginação e fantasia é crucial. Pois se você não se abastece de exemplos e referências inspiradores, de perseverança para manifestar esse projeto de si mesmo, com o tempo, muito provavelmente você vai pegar um referencial emprestado e fantasioso, do galã ou da mocinha da novela - mas poderia ser muitos outros exemplos - que ronda nosso coletivo, porque ele está ali, pronto para ser fantasiado e consumido.


Quando entendemos o quanto tudo isso é importante na âmbito pessoal e coletivo, quando percebemos o impacto que podemos ter nas nossas realizações e relações, então, temos condições de escolher referenciais e conteúdos mais encorpados. Esse é um dos principais motivos da #Contoterapia trabalhar com os contos, histórias familiares, contos de fadas e por aí vaí. 


Contar histórias estimula a imaginação, fornece insumos para a elaboração de um novo ser. Consigo projetar as coisas que não enxergo conscientemente em mim mesmo, nestes personagens e por correspondência me benefício de todas as aventuras vividas e soluções encontradas. Mas aqui, quando falo de correspondência, percebo que temos assunto para um outro texto...


Contoterapia



E você, imagina ou fantasia?

0 visualização
  • youtube contoterapia
  • facebook contoterapia
  • instagram contoterapia
  • whattsup contoterapia
0

+44 0783 844 5266

Contoterapia by www.contoterapia.com.br

Anna Rossetto

CNPJ 30.004.429/0001-18

Terapia Com Contos | Contoterapia | CNV | Empatia | Storytelling

Contoterapia Brasil

Rua Pedro Ivo, 3095

Cascavel - PR - BR

Contoterapia Inglaterra

52, Moorhen Drive

Reading-UK